Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Atletismo - Prova de estafetas

por Radiografia Desportiva, em 10.05.16

Há cada vez mais pessoas a correr regularmente e a seguir provas de atletismo. Mas, associa-se sempre provas específicas como a de 100 metros masculinos, com o atleta Usain Bolt a aparecer como imagem de marca.

 

No entanto, o atletismo é mais do que isso. É constituído por um conjunto de 3 modalidades: corrida, lançamentos e saltos.

 

Na corrida, há a prova de estafetas. É uma manifestação coletiva de uma modalidade individual, em que o objetivo é finalizar os quatro percursos no menor tempo possível.

 

b51704ed-2342-49f9-9614-5254094fd038.jpg 

Vejam bem o vídeo (a partir do minuto 3), de uma das provas mais imprevisíveis de que há memória.

 

 

A expressão "Run, Forrest, Run!" do filme Forrest Gump, é bem empregue aqui. Completamente inacreditável o final da prova!

 

Pode-se considerar a prova de estafetas, como uma forma jogada da corrida de velocidade. Não chega só ser-se rápido, a técnica de passagem do testemunho deve também ser feita da melhor forma possível e (de forma obrigatória) na zona de transmissão.

 

0600fc3c-1d73-41b1-b437-ff310e821987.png

 

Este tipo de corrida de velocidade, tem um grande conteúdo lúdico e desenvolve a cooperação e o espírito de grupo, até sendo integrada em inúmeros exercícios noutro tipo de desportos (como o futebol, basquetebol ou andebol).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:10

"Beer Mile" - Desporto, corrida e cerveja

por Radiografia Desportiva, em 19.08.15

Desporto, corrida e cerveja. É possível conciliar os 3? Sim!! Na corrida "Beer Mile".

 

Esta prova, já tem tido destaque noutros países e espaço de comunicação social (como ESPN, CNN, The New York Times ou The Walk Street Journal), mas em Portugal ainda pouco se fala. O conceito desta prova não é muito complexo. Os atletas devem correr uma milha (1,6 km) e a cada 400 metros bebem uma cerveja.

 

Veja os melhores tempos da prova e cervejas associadas

 

11904727_1694250647472833_3229878415982923492_n.jp

A prática da corrida tem-se tornado um hábito cada vez mais popular, o que contribui para o aumento dos níveis da atividade física. Este facto ainda é mais importante, pelo facto da inactividade física estar associada ao desenvolvimento de doenças crónicas, diminuição da longevidade, perda de funcionalidade e diminuição do controlo do peso.

 

O tipo de nutrição, de alimentação e hidratação têm um papel importante na saúde e na prestação desportiva. Há quem refira que a cerveja pode trazer benefícios aos corredores. Pode ler aqui.

 

homer-musculo-cerveja.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:29

FIFA 11+ (Programa de prevenção de lesões)

por Radiografia Desportiva, em 14.08.15

O programa de prevenção de lesões FIFA 11+ foi desenvolvido por um grupo internacional de especialistas com base na sua experiência clínica. É um aquecimento completo, devendo substituir parte do aquecimento normal realizado antes do treino.

 

O FIFA 11+ tem três partes:

1) Exercícios de corrida a velocidade reduzida

2) Força, Pliometria e equilíbrio

3) Exercícios de corrida a velocidade moderada/elevada associando mudanças de direção.

 

fifa11poster-140103182432-phpapp01-thumbnail-4.jpg

 

Os atletas devem começar pelo nível 1 e só deverão passar para o seguinte, quando conseguirem executar o anterior sem dificuldades.

 

Todos os vídeos de exercíos estão disponíveis na hiperligação apresentada: Exercícios FIFA 11+

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:04

Sprinter vs Maratonista

por Radiografia Desportiva, em 11.08.15

Os músculos são compostos por vários tipos de fibras. São caracterizados por diferenças quanto ao tipo de contração e classificados em dois grupos, lento ou de contração lenta (tipo I) e rápido ou de contração rápida (tipo II) (Baldwin & Haddad, 2001).

 

O tipo de exercício físico, determina quais são as fibras musculares mais recrutadas. A preparação de um atleta para uma corrida de fundo é diferente da que a feita para um velocista. Para um corredor de fundo deve-se ter em atenção vários parâmetros, tais como: os volumes de corrida contínua, a organização de treinos intervalados e a inserção de sessões de treino mais longos de corrida contínua. Assim, o grande objetivo centra-se obrigatoriamente nos níveis de prestação aeróbia e anaeróbia dos atletas.

 

Ao passo que, o treino de um sprinter para além de todo o tipo de treino de força e resistência, deve-se enfatizar treinos explosivos e de velocidade mais perto dos períodos de competição, em detrimento dos treinos de baixa/moderada intensidade.

 

Um treino integrado e apropriado para cada atleta é essencial para evitar as lesões associadas à corrida. O treino de força excêntrico é o que mais se aproxima da ação do músculo durante a corrida (Johnston, Taunton, Lloyd-Smith, McKenzie, 2004).

 

sprinter-vs-marathon-w580.jpg

 

Baldwin M, Haddad F. Effects of different activity and inactivity paradigms on myosin heavy chain gene expression in striated muscle. J Appl Physiol. 2001;90(1): 345-357.

Johnston C, Taunton J, Lloyd-Smith, McKenzie. Preventing running injuries. American family physician. 2004;69(7): 1781-1782.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:41


Mais sobre mim

foto do autor


Facebook


Endereço eletrónico

radiografiadesportiva@gmail.com

Calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog