Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Hoje é dia de... Miklos Fehér

por Radiografia Desportiva, em 25.01.16

Na crónica da Radiografia Desportiva "hoje é dia de..." o tema é sobre Miklos Fehér.

Faz hoje 12 anos que a tragédia aconteceu. No jogo entre o Vitória Sport Clube e Sport Lisboa e Benfica, uma paragem cardio-respiratória tirou a vida ao jogador húngaro de apenas 24 anos. As equipas médicas ainda fizeram tudo o que lhes estava ao alcance (nomeadamente manobras de reanimação) ainda no relvado e o atleta foi levado para o hospital, mas não conseguiu sobreviver.

 

MIKI.jpg

 

12 anos depois as memórias e as saudades permanecem vivas. O seu sorriso ficou eternizado em estátua.

 

miklos-feher.png

 

Como se sabe, os atletas são avaliados de forma muito rigorosa (principalmente nas equipas profissionais e atletas de alta competição), mas infelizmente casos como este ainda acontecem e é necessário a obrigatoriedade de exames de diagnóstico em formação e desporto amador.

A história clínica de cada jogador é fundamental para o conhecimento da sintomatologia de cada um e permite extrair dela o conhecimento global da situação clínica. O exame objetivo/físico, é um método de excelente especificidade para diferentes patologias cardíacas e auxilia a fazer um diagnóstico e a orientar o pedido subsequente de exames.

 

Relativamente à utilização de exames complementares de diagnótisco, a sua necessidade é sempre avaliada pela equipa médica e é imprescendível para saber se os atletas estão aptos a realizar atividade desportiva.

 

Há inúmeros meios complementares de diagnóstico em cardiologia, tais como:

- Electrocardiograma

- Ecocardiografia

- Provas de esforço cardio-respiratórias

- Registo de ECG dinâmico de 24 - 48 horas (Holter).

- Teste de tilt ou de inclinação em mesa basculante.

- Monitorização ambulatória da pressão arterial (MAPA).

- Angio TAC coronário (avaliação da anatomia coronária e as suas possíveis anomalias).

- Ressonância magnética cardíaca.

 

Por outro lado, todos os profissionais devem ter o curso de Suporte Básico de Vida e Desfibrilhador Automático Externo (DAE). Faz parte das competências necessárias para aumentar a capacidade de salvar uma vida.

 

Documento do INEM sobre Suporte Básico de Vida 

 

600.jpg

 "Nasceste a chorar e toda a gente sorriu. Morreste a sorrir e toda a gente chorou".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:36

Relva sintética vs Relva natural

por Radiografia Desportiva, em 26.08.15

A Radiografia Desportiva hoje aborda o tema dos diferentes tipos de relvado, que dão vida à magia do futebol. Poderá o relvado artificial ser mais propício ao risco de lesão desportiva?

 

turf8.jpg

O CSKA de Moscovo (adversário de hoje do Sporting Clube de Portugal) joga em relvado natural, mas por exemplo o seu rival Spartak de Moscovo utiliza relvado sintético.

 

O piso sintético tem sido a solução para diversos campos (e também recintos escolares) já que a sua manutenção é relativamente simples e é resistente a alterações de clima. De qualquer forma, as notícias sobre este tipo de relvado têm sido pouco indicadas para a prática de desporto de alto rendimento. Por exemplo, este ano o Boavista foi obrigado a trocar o relvado sintético por natural na época 2015/2016. Recorde-se que o Estádio do Bessa, era o único na 1ª Liga Portuguesa a ter relva artificial.

Fará sentido, tendo em conta a saúde dos atletas?

 

Segundo, alguns estudos científicos, parece que sim. É claro que ainda é necessário haver uma exaustiva avaliação de lesões em diferentes relvados, para informar os atletas, profissionais de saúde e organismos desportivos dos mecanismos de lesão e fatores de risco.

 

Apesar do referido, alguns estudos científicos demonstraram que:

- Em vários campos de relva artificial, houve um aumento do risco de lesão no tornozelo.

- Qualquer inferência quanto à gravidade de lesão é inconsistente, apesar de jogar na relva sintética ser mais suscetível a feridas/queimaduras.

- Um dos principais padrões de lesão no relvado sintético, em comparação com o natural, inclui a probabilidade do pé ficar fixo quando há mudança de direção do atleta e assim, pode acrescer o risco de lesão.

 

The Relationship Between Core Stability and Performance in Division I Football Players

 

A Review of Football Injuries on Third and Fourth Generation Artificial Turfs Compared with Natural Turf

 

Comparison of the incidence, nature and cause of injuries sustained on grass and new generation artificial turf by male and female football players. Part 1: match injuries.

 

Is there a relationship between ground and climatic conditions and injuries in football?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:56

A idade é relativa...

por Radiografia Desportiva, em 13.08.15

Não somos capazes de medir diretamente o envelhecimento. De qualquer forma, a quantificação de diversos parâmetros fisiológicos permite distinguir diferentes ritmos de envelhecimento.  Há aspetos bio-psico-sociais a considerar, mas também há aspetos biológicos que não somos capazes de medir diretamente.

 

"Older Athletes Have a Strikingly Young Fitness Age"

 

Parâmetros de idade biológica  (Borkan e Norris) 

Estes autores começaram por utilizar parâmetros para determinar a idade biológica de uma pessoa: capacidade vital; capacidade respiratória máxima; pressão arterial sistólica; pressão arterial diastólica; volume expiratório forçado (1 segundo); hemoglobina; limiar auditivo; acuidade visual; creatinina; glicémia; metabolismo basal; densidade óssea; força manual; capacidade máxima de trabalho muscular; teste de memória visual de Benton; tempo no teste de tapping (distância curta e intermédia); tempo de teste de tapping (distancia curta); tempo de reacção (simples e para realizar uma decisão) e tempo de reacção do pé. 

 

Há um estigma relacionado com a idade cronológica. Achar que as pessoas mais velhas já não podem render tanto em desporto, nem sempre é verdade. A experiência traz outras vantagens e benefícios às qualidades intrínsecas de um atleta.

 

A atividade física traz tanto benefícios físicos, como emocionais e está diretamente ligada ao controlo e prevenção de diversas patologias. Realizar exercícios é uma forma do organismo trabalhar frequentemente e também deve ser um desafio constante...
 

fitness-motivation-wallpaper-3-desktop-wallpaper.j

 

Por outro lado, temos sempre de valorizar a expressão "Use it or loose it" em todas as pessoas. Está provado que a principal causa do declínio durante o envelhecimento é por causa da “falta de uso” a nível físico, mental e social.

Exemplo:

muscle-mri-519x1024.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:11

Pré-época desportiva

por Radiografia Desportiva, em 07.08.15

A pré-época é um período de preparação muito importante para o sucesso de qualquer equipa. Apresento-vos um vídeo, onde se trabalha agilidade, mudanças de direção e velocidade.

 

É neste período pré-competitivo que se começa a inserir as metodologias de treino e os atletas começam a assimiliar as ideias da equipa técnica.

 

Para além do treino em si, é vital haver uma avaliação cuidada de cada jogador, que deve ter diversos parâmetros:

- Idade; Peso; Altura, Índice de Massa Corporal; História clínica anterior; História clínica atual; História médico-cirúrgica; Tensão Arterial; Frequência cardíaca e respiratória; Perímetros musculares; Exames complementares e outras especificidades/observações de cada atleta.

 

apos-ter-suas-ferias-estendidas-o-atacante-brasile

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:10


Mais sobre mim

foto do autor


Facebook


Endereço eletrónico

radiografiadesportiva@gmail.com

Acompanhe a Radiografia Desportiva no Blogs Portugal


Calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog